Início / Notícias / Cidade / Arrecadação de impostos federais na região aumenta 20% no primeiro quadrimestre

Arrecadação de impostos federais na região aumenta 20% no primeiro quadrimestre

Receita acumulada, entre janeiro e abril de 2018, foi a segunda maior dos últimos cinco anos e refletiu expectativa de recuperação da economia que havia no início do ano

A região metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP) acompanhou o cenário de reação positiva na arrecadação de impostos federais no País e no estado de São Paulo, registrando alta de 20% na receita tributária no primeiro quadrimestre deste ano, o que totalizou R$ 1.728 milhões. Apenas o IRRF teve queda (1,1%), enquanto houve variação positiva nas arrecadações de COFINS (25,9%), PIS/PASEP (24,4%), IPI (21,3%) e IRPJ (21,0%).

Somente o município de Ribeirão Preto arrecadou no período R$ 999.118 mil, um aumento de 22,1% em comparação ao primeiro quadrimestre de 2017 (R$ 818.526 mil), com destaque para COFINS (31,9%), PIS/PASEP (26,3%) e IPI (22,0%). Considerando apenas o mês de abril, a cidade atingiu a marca de R$ 259.401 mil, valor 8,1% superior em relação ao mesmo período do ano passado.

No Brasil, a arrecadação total em abril de 2018 foi da ordem de R$ 85.656 milhões, 7,4% superior ao observado no mesmo mês de 2017. No quadrimestre, chegou a R$ 343.871 milhões, aumento de 9,4% frente ao acumulado de janeiro e abril de 2017. A arrecadação registrada em abril e também no quadrimestre foi a segunda maior entre os últimos cinco anos, e a única, nos últimos cinco anos, que apresentou variação positiva em relação ao ano anterior.

Os principais responsáveis por esse resultado foram COFINS e PIS/PASEP, que juntos apresentaram crescimento real e refletiram as alterações da legislação do PIS/COFINS e o aumento do volume de vendas (PMC-IBGE) no mês de março de 2018.

Adicionalmente, houve alta na arrecadação do IPI e IPI Vinculado à Importações, além de aumento dessazonalizado de 1% no setor de Serviços no mês de abril, reduzindo o ritmo de queda acumulado no primeiro quadrimestre de 2018.

“A perspectiva, no entanto, é que o avanço na geração de receita tributária perca fôlego nos próximos meses, tendo em vista o recuo nas expectativas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano, o que deve comprometer ainda mais o quadro fiscal do governo federal e lançar novas incertezas sobre o cenário econômico”, avalia o pesquisador do Ceper Sérgio Sakurai, que coordena o levantamento assessorado pelas pesquisadoras Giulia Coelho e Lorena Araújo.

Os dados completos do Boletim Termômetro Tributário, divulgado em Junho de 2018, podem ser acessados no site da Fundace:

https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201806_00373.pdf .

Veja Também

‘Almoço da Solidariedade’ reuniu cerca de 700 pessoas

Segunda edição do evento foi sucesso de público no Lar São Vicente de Paulo   …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *