Início / Notícias / Cidade / Bombeiros chegam a registrar 90 queimadas por mês

Bombeiros chegam a registrar 90 queimadas por mês

Prática é ilegal e população pode contribuir com atitudes simples

Nos últimos meses, casos de fogo em terreno têm sido muito frequentes em Matão, mesmo com a proibição da prática. O tempo seco é considerado pelo Corpo de Bombeiros como o período crítico das queimadas.

“Desde maio, registramos, em média, de 80 a 90 ocorrências por mês e isso deve se estender até o final de agosto. Fora desse período, os casos são raros, mas ocorrem”, afirma o sargento Curvello, da corporação.

As queimadas são prejudiciais ao meio ambiente e à saúde, pois poluem o ar com fumaça e gases tóxicos, que acabam causando ou agravando problemas respiratórios. Também provocam mudanças climáticas, degradam o solo, destroem a vegetação e matam animais.

“Deve-se considerar também o risco à segurança, pois o fogo se espalha e, se não for contido rapidamente, pode atingir residências próximas”, revela o bombeiro, que lembra que o telefone para comunicação de incêndios é o 193.

O que diz a lei
Duas leis municipais proíbem a prática: a n° 4.119, de 19 de janeiro de 2010 (Código de Posturas) e a n° 4.138 de 10 de março de 2010 (Código de Meio Ambiente e Saneamento). O artigo 125 da primeira diz que é vedado atear fogo na vegetação e demais resíduos existentes em imóveis localizados dentro do perímetro urbano.

E o artigo 112 da segunda diz que ficam vedadas no território municipal as queimadas, inclusive as realizadas com o propósito de queimar o mato em terrenos baldios e áreas não urbanizadas, queimar os resíduos resultantes da poda do mato, de arbustos e de árvores ou queimar o lixo ou resíduos de qualquer natureza, orgânica ou inorgânica, bem como atear fogo em terrenos e edificações com intuito de limpeza desses.

Os infratores estão sujeitos a multa e podem responder por crime ambiental.

Como evitar
A população pode ajudar a evitar queimadas com algumas atitudes simples:
Não jogando bitucas de cigarro em grandes avenidas e estradas;
Não depositando lixo em terrenos baldios, especialmente garrafas de vidro e latas de metal, pois esquentam com muita facilidade e acabam causando queimadas;
Não queimando lixo;
Não soltando balões;
Destinando o lixo e outros resíduos aos locais corretos.
Destinação correta

Para a destinação correta de resíduos volumosos, quantidades acima de 1 metro cúbico, a pessoa deve contratar o serviço de uma empresa de caçambas. Há 18 empresas aptas a recolher e dar a destinação certa.

Para pequenas quantidades, até 1 metro cúbico, a pessoa pode contratar o serviço de um carroceiro, que deverá destinar a um PEV (Ponto de Entrega Voluntária), por exemplo, o do Jardim Paraíso (Rua José Perlato, próximo ao Distrito Industrial Adolfo Baldan) e o da Vila Cardim (Avenida Brasil, ao lado da escola Caic). Ambos funcionam de segunda a sexta, das 8h às 17h.

Mas antes de contratar, é importante perguntar qual o destino e se o mesmo é correto, pois o gerador do resíduo também é responsável, podendo ser multado se o destino for irregular. As empresas que não fizerem a destinação adequada podem ter o alvará de funcionamento cassado.

Denúncias
Além da prevenção, a população pode colaborar denunciando os casos de queimadas à Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Saneamento e Recursos Hídricos pelo telefone 3383-4060 ou à Guarda Municipal pelo 0800 7711531 (plantão).

 

  • Natali Galvão

 

Veja Também

Mais de 1 milhão de candidatos já consultaram o local de prova do Enem

Mais de 1,1 milhão de participantes consultaram o local de prova do Exame Nacional do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *