Início / Notícias / Cidade / Sargento de Araraquara foi morto em Matão

Sargento de Araraquara foi morto em Matão

Crime aconteceu na noite de segunda, 19

 

Na noite de segunda, 19, o 1° Sargento Paulo Sergio Arruda, da Polícia Militar de Araraquara, faleceu baleado em Matão. Ele veio até a cidade apurar uma denúncia de ameaça e extorsão contra até então um padre do município. O sargento e mais três policiais estavam de folga e vieram para a cidade a pedido de um garagista de Araraquara.

Durante a fatídica noite, após uma confusão o sargento Paulo Sergio Arruda, acabou sendo baleado duas vezes no peito. O crime aconteceu no Residencial Olívio Benassi, local onde o padre residia. Ele foi socorrido e encaminhado ao Hospital ‘Carlos Fernando Malzoni’, onde não resistiu aos ferimentos e faleceu. O padre e os outros demais policiais não se feriram, os bandidos fugiram do local, e até o fechamento desta edição ainda encontravam-se foragidos.

O Jornal do Comércio entrou em contato com o advogado dos acusados, Luis Gustavo Penna, de Sertãozinho, que sustenta a versão que os seus clientes, Edson Ricardo da Silva, conhecido como Banana, Luiz Antônio Carlos Venção e Diego Afonso Siqueira Santos, não efetuaram os tiros contra o policial, que tais disparos teriam sido efetuados por outras pessoas que até o momento não foram apontadas na investigação.

 

Investigação

São várias investigações simultâneas sobre o caso. A Polícia Militar instaurou inquérito interno para apurar os motivos que levaram o sargento Arruda e os outros policiais a se envolverem na ocorrência no horário de folga e fora da jurisdição. A Polícia Civil também apura o envolvimento de todos no fato.

Na tarde de quinta, 22, a Diocese de São Carlos através da sua assessoria de imprensa suspendeu o padre Edson Maurício de todas as suas atividades para com a igreja católica. Em nota a assessoria ainda disse por meio do Bispo Dom Paulo Cezar Costa, que lamenta pede desculpas aos fiéis católicos, por este ato isolado contra conduta moral e os valores evangélicos; de maneira particular aos fiéis da Paróquia de Santo Expedito, diante desta situação de escândalo causada pela ação do padre.

Até o fechamento desta edição, os acusados ainda não tinham sido capturados, e a busca por eles, assim como a investigação continua em andamento.

 

  • Jéssica Karoline

Veja Também

‘Clássicos do Natal’ agrada plateia na Igreja do Bairro Alto

Matão realiza intercâmbio cultural com Jaboticabal A Igreja Nossa Senhora Aparecida sediou a apresentação do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *